Controle de tração e estabilidade: entenda como funcionam os sistemas
26 mai

Controle de tração e estabilidade: entenda como funcionam os sistemas

Já passamos por grandes avanços desde a criação dos primeiros, básicos e levemente irritantes sistemas de controle de tração e estabilidade - que cortavam o controle a qualquer menção de alterações no sistema. Nossos carros já se tornaram mais inteligentes e com sistemas mais integrados. Mas muitos motoristas ainda não entendem o que são essas duas tecnologias e qual sua importância.

É justamente isto que iremos abordar neste artigo. Continue lendo e até o final do artigo tenha acesso às seguintes informações:

  • O que é controle de estabilidade?
  • Como funciona o controle de estabilidade
  • Como o controle de estabilidade é diferente da tração normal?
  • Vale a pena comprar carro com controle de tração e estabilidade?

 

O que é controle de estabilidade?

O controle de estabilidade é um conjunto de tecnologias que inclui o controle de tração, mas também outros programas complexos desenvolvidos para manter o carro tanto sob controle quanto estável - independentemente das condições da estrada ou imprudência dos motoristas.

Mas ainda existem alguns pontos que incomodam os motoristas. Para um sistema que é um grande feito da engenharia e que usa maior poder computacional que o usado para enviar o homem à lua, o controle de estabilidade não te impede de acertar uma árvore se você tentar desobedecer as leis da física.

O controle de estabilidade opera sob o princípio de que ter tração o tempo todo é a melhor saída, e que o carro deveria estar indo para onde o motorista quer. Esses parâmetros aparentemente simples escondem uma série de segredos incríveis.

 

Como funciona o controle de estabilidade

Tudo começa com um ECU (Unidade de Controle Eletrônica), além de sensores ao redor do carro que mensuram quão rápido as rodas estão girando, quão rápido você está indo e o quanto o carro está girando ao redor do seu eixo principal, além de outras variáveis como o ângulo de giro do volante e a velocidade com que tira o pé do acelerador para pisar no freio.

Caso os sensores indiquem um desvio de percurso em qualquer cenário, o ECU entra em ação e garante que o carro fique onde deve estar.

E um dos melhores aspectos desse sistema é que ele funciona muito antes de você perceber que tem um problema.

Se, por exemplo, você gira o volante de maneira brusca para desviar de um buraco na estrada, o carro pode naturalmente corrigir o percurso graças ao sistema.

Por isso, mesmo que apenas te salve uma vez no ano, ou uma vez na vida, esse sistema é fundamental.

Caso os sensores identifiquem que você está girando o volante mais do que o carro está se movendo, o sistema irá parar a roda de dentro para forçar o carro a obedecer seus comandos.

Complicando ainda mais os cenários, se você reage de maneira muito brusca e tenta se recuperar de um desvio (como o do cenário que já citamos acima), é possível “supercorrigir” e fazer o carro derrapar.

O controle de estabilidade nesse caso está pronto para agir ao parar as rodas individualmente e impedir que o carro derrape para fora de controle.

- Leia também: Carros 8v ou 16v: qual escolher?

 

Como o controle de estabilidade é diferente da tração normal?

O controle de tração é uma tecnologia comparativamente simples comparada ao controle de estabilidade completo. A parte de tração apenas previne a perda de contato nas rodas de direção nos casos em que a potência do motor excede o nível de atrito do solo.

Ainda que o controle de tração e estabilidade usem os mesmos métodos, suas capacidades são bem diferentes. Os únicos dados no ECU de um controle de tração são sobre a velocidade do carro e o quão rápido as rodas estão girando.

Contudo, assim como o sistema de estabilidade, os controles de tração usam várias tecnologias para recuperar o atrito com o solo.

Primeiro, sensores de velocidade de roda enviam dados ao ECU. Se o ECU acha (com base em seus parâmetros pré-estabelecidos) que uma das rodas está girando mais rápido que as outras, ele assume que essa roda perdeu tração.

O ECU então é ativado e o sistema de freios ABS é acionado para reduzir cuidadosamente o giro da roda. E enquanto o ABS reduz a roda sem atrito, o ECU também instrui o motor a entregar menos torque, garantindo que a tração não seja sobrecarregada quando os freios forem soltos.

E esse sistema também funciona num piscar de olhos, muitas vezes de maneira imperceptível aos motoristas. Claro que, quanto mais grave for a perda de tração, mais notável será, com um salto adiante enquanto o sistema se encarrega de tudo para você.

O controle de tração apenas funciona nas rodas motorizadas, então os veículos com tração traseira terão controle apenas nessas duas, enquanto modelos 4x4 terão limitações e freios em todas elas.

 

Você deve desligar o controle de tração?

Quem gosta muito de revistas de direção ou programas automobilísticos pode achar que desligar o controle de tração do carro é um tipo de rito de passagem que demonstra talento, mas a verdade é que o sistema se tornou obrigatório a partir de 1º de janeiro de 2022 através da PL 2.965/2019 por uma razão.

A maioria dos veículos permite que você desligue o controle de tração sozinho e em alguns casos é possível até mesmo desligar todo o sistema de estabilidade do automóvel.

Desativar o controle de tração pode ser útil em alguns casos, como veremos mais abaixo, mas também torna sua direção mais instável em qualquer outro cenário.

Caso você faça parte da minoria de motoristas que levam seus automóveis a pistas de corridas, até faz sentido desligar o controle de tração para fazer um tempo melhor nas curvas fechadas e maior inclinação de pista.

Ainda assim, um sistema de tração e estabilidade bem desenvolvido é capaz de melhorar o desempenho e velocidade de um carro sem reduzir a segurança do motorista.

 

E quando desligar o controle de tração?

Existem algumas situações especiais em que é melhor desligar o controle de tração, já que ele pode mais atrapalhar que ajudar. São elas: quando o carro está preso na lama ou na areia (ou neve, que não é o caso do Brasil).

Caso esteja com as rodas girando sem atrito, deixar o controle de tração ativo pode fazer mais mal que bem. Isso porque o sistema irá diminuir a velocidade de giro das rodas, imaginando que a alta velocidade representa uma perda de controle.

Contudo, quando você está com o carro preso em lama ou areia, é necessário que as rodas girem o mais rápido possível para cavar no solo instável até encontrar algo mais sólido para ter estabilidade.

 

Vale a pena comprar carro com controle de tração e estabilidade?

Sim, vale muito. Esses dois sistemas aumentam a segurança na direção e dão aos motoristas mais tranquilidade nas curvas mais fechadas ou feitas em alta velocidade (nas estradas) sob condições adversas.

Por isso, caso seu carro não tenha o controle de tração e estabilidade, talvez valha a pena se preparar para comprar um veículo com essas tecnologias.

E se você quer investir de maneira mais moderada em um automóvel, uma boa maneira de fazer isso é adquirir um seminovo.

Aqui no shopping de carros Center Car você encontra mais de 600 veículos em 24 lojas com vendedores especializados preparados para te ajudar na sua busca. Confira as opções no nosso site.

- Leia também: Como saber a hora certa de trocar de carro?

VOLTAR AO INÍCIO